QUANDO DEVEMOS PENSAR EM INICIAR A INTERVENÇÃO NUTRICIONAL PARA BEBÊS E CRIANÇAS COM INGESTÃO ALIMENTAR REDUZIDA?

Nutrição Pediátrica
Data de publicação: 01/11/2018
QUANDO DEVEMOS PENSAR EM INICIAR A INTERVENÇÃO NUTRICIONAL PARA BEBÊS E CRIANÇAS COM INGESTÃO ALIMENTAR REDUZIDA?

É comum relatos de mães sobre o baixo ou irregular consumo de alimentos pelos seus filhos.

infância caracteriza-se por uma fase intensa de crescimento e desenvolvimento. 

Situações como a recusa alimentar e o baixo consumo dos alimentos oferecidos, são relatos muitas vezes frequentes feitos pelas mães sobre a alimentação de seus filhos. Situações como estas,  devem ser consideradas e analisadas com cautela, pois podem estar associadas, quando de forma prolongada à perda de peso e consequente impacto no estado nutricional.

A ingestão alimentar, inferior a 80% das necessidades nutricionais por um período superior a 10 dias, é um sinal de alerta importante na infância e que se identificado, demonstra a necessidade de intervenção nutricional, que deverá ser implementada de forma individualizada pelo profissional de saúde, considerando o estado nutricional, o padrão alimentar e a fase da vida da criança.

Uma queixa muito frequente no consultório do pediatra é “meu filho não come e não mama bem”. Esta é uma queixa que não pode ser menosprezada e temos que prestar muita atenção, porque nessa conversa de hábito alimentar que está reduzido, pode ser o início de um quadro mais grave, de um quadro de perda de peso. 

A nutrição nesse período é fundamental e a perda ou ganho de peso inadequados podem gerar um impacto negativo no desenvolvimento físico e neuropsicomotor da criança. 

Se essa criança passa mais de dez dias consumindo menos de 80% do que ela normalmente consome, em uma criança com menos de 1 ano, temos menos de três dias para atuar e ter uma atitude terapêutica nutricional muito importante. 

Então, temos que estar atentos a esses comentários do dia a dia e nunca menosprezar o que a mãe está sentindo ou o que está vendo em seu filho, pois pode ser um quadro banal que vai passar em três ou quatro dias depois de um quadro viral, ou pode ser um quadro de uma doença e alteração orgânica. Sempre estar atento para reagir com uma conduta nutricional terapêutica imediata. 




Referências:
Romano C et al. Current topics in the diagnosis and management of the pediatric non organicfeeding disorders (NOFEDs). Clinical Nutrition. Volume 34, Issue 2, April 2015, Pages 195-200
ESPGHAN Committee on Nutrition: Practical Approach to Paediatric Enteral Nutrition. AComment by the ESPGHAN Committee on Nutrition. JPGN 2010;51: 110–122


CONSULTE SEMPRE O MÉDICO E/OU NUTRICIONISTA
O leite materno é o melhor alimento para os lactentes e até o 6° mês deve ser oferecido como fonte exclusiva de alimentação, podendo ser mantido até os dois anos de idade ou mais. As gestantes e as mulheres que amamentam precisam ingerir uma dieta saudável e equilibrada. O uso de mamadeiras, bicos e chupetas pode dificultar o aleitamento materno, principalmente quando se deseja manter ou retornar à amamentação. O médico pediatra e/ou nutricionista deve ser sempre consultado.