TUDO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE OS PRIMEIROS 1.000 DIAS

Nutrição Pediátrica
Data de publicação: 01/11/2018
TUDO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE OS PRIMEIROS 1.000 DIAS

A nutrição correta nos primeiros mil dias tem um impacto profundo na capacidade de uma criança crescer, aprender e se desenvolver da forma ideal.

Os primeiros mil dias de vida, período que compreende os 270 dias da gestação + 730 dias até que o bebê complete dois anos de idade, constitui a fase mais intensa para o desenvolvimento físico e mental de um ser humano. Nesse período, acontece o maior estirão de crescimento, intenso desenvolvimento neurológico (aos 2 anos, o cérebro de uma bebê tem 80% do tamanho do cérebro de um adulto e é 2 vezes mais ativo!!!) e imunológico, assim como a formação de bons hábitos alimentares, que aumentarão as chances do bebê se tornar um adulto mais saudável. 

O período gestacional será crucial na saúde física e emocional do feto. Sabe-se, por exemplo, que a alimentação da mãe durante esse período ajuda a determinar o paladar e o olfato do bebê, uma vez que as nuances de sabor passam para o líquido amniótico. Além disso, o desenvolvimento neurológico também é muito intenso na vida intrauterina e pode sofrer a influência de fumo, drogas e medicamentos ingeridos pela mãe. 

A nutrição correta durante essa janela de mil dias tem um impacto profundo na capacidade de uma criança crescer, aprender e se desenvolver da forma ideal – além de proporcionar um efeito duradouro na saúde a longo prazo. 



Os 1.000 dias foi uma sacada muito interessante de uma ONG, em 2010, que percebeu que havia uma janela de oportunidade entre a fecundação e os dois anos de vida de um bebê, no qual a composição nutricional nesse período poderia ter impactos durante a vida inteira dessa criança. 

Esta fundação pesquisava em cima de crianças desnutridas e logo foi apoiada pela Fundação Bill Gates, também foi apoiada pelo governo da Irlanda, em seguida pelo governo americano. 

Posteriormente a OMS compreendeu que essa oportunidade e o título 1.000 dias devia ser colocada em campanha internacional para a conscientização do mundo inteiro  sobre a importância de cuidar da saúde da mulher antes dela engravidar e da saúde do bebê durante o período desde que ele foi fecundado até ele fazer dois anos. 

Isso principalmente porque a composição corporal que o bebê tem nesse período vai garantir uma qualidade de vida a longo prazo que de outra maneira não sendo cuidado poderá interferir, causando inclusive dificuldades de aprendizado, doenças crônicas de longo prazo e maior mortalidade por essas doenças em uma idade menor, reduzindo tempo de vida e a qualidade de vida dessa pessoa. Portanto, 1.000 dias é uma ideia fantástica. 



Referências biliográficas:
Grantham-McGregor S. et al. Developmental potential in the first 5 years for children indeveloping countries. Lancet 2007; 369: 60–70.
Black MM, Walker SP, Fernald LCH, et al. Early childhood coming of age. science through thelife-course. Lancet 2016; published online Oct 4. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(16)31389-7.
WHO/UNICEF.Care for child development. Improving the care for young children. Geneva: World Health Organization, 2012.


CONSULTE SEMPRE O MÉDICO E/OU NUTRICIONISTA.
O leite materno é o melhor alimento para os lactentes e até o 6° mês deve ser oferecido como fonte exclusiva de alimentação, podendo ser mantido até os dois anos de idade ou mais. As gestantes e as mulheres que amamentam precisam ingerir uma dieta saudável e equilibrada. O uso de mamadeiras, bicos e chupetas pode dificultar o aleitamento materno, principalmente quando se deseja manter ou retornar à amamentação. O médico pediatra e/ou nutricionista deve ser sempre consultado.